Seguidores

New Translator....

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Vivo


Vivo

Teus segredos, desvendo
Teus segredos, não vendo
Teus segredos sem vendas
Teus sentidos, aguço
Teus sentidos abuso
Teus sentidos eu sinto
Saciar, vou os sentidos
Para dar-te sentido a vida
Para dar-te vida aos sentidos
Assim eu vivo

Ulisses Reis®
22/09/2010

Para Claudia Vidinhas (http://claudiavidinhas.blogspot.com )

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sapekinha


Sapekinha

Lá esta ela a menininha
Assim parece inocente
Nem de mentirinha
Meias acima do joelho
Cores, quase nas coxas, delicinha
Tem ancas de uma mocinha
E usa calcinha diferente, larguinha
Que é uma gracinha, rosinha
Nos seios nus, os braços degosinha
Esconde mamilos ávidos
Ela é muito espertinha
Mas sabe que desperta desejos
E cria fantasias, hoje usa trancinha
Na cama com a colcha estampada
No rosto tudo de mulher encantada
Ela se faz de menininha, que boquinha
Mesmo assim muito sapequinha, gostosinha
Pois quer mais virar mulher, gemendo baixinho
Mas com esse corpo faz gozar, espevitadinha
Chupa como uma menininha, que bundinha
Ela sabe que envolve, essa menininha é Bia Sapekinha

Ulisses Reis®
08/07/2010

Para Bia

Imagem do site:
(http://casaldejavusc.blogspot.com/2010/07/pirulito.html )

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Perdida


Perdida

Eu já gosto é das largadas
Entre quatro paredes, no carro
Não gosto das que são sempre
Comportadas
Quero que goste dos vilões
E da risada da brochada
E adivinha quem é assim
Essa menina-moça é furacão
Tem sabor de muito prazer
Ela sabe que palavrão
Não se pode segurar
Tem mais é que falar, tesão
Mas ainda tem homem
Que prefere as bobinhas
Eu já sou a favor das que são
Com o homem putinha devassa
E goza falando o que da na mente
Elas é que sabem serem quentes
Mulher perdida quero te encontrar

Ulisses Reis®
26/08/2010

Para Malu

sábado, 25 de setembro de 2010

Meia de renda


Meia de renda

Meu segredo é lilás
Minha vontade lábios
Que de batom negro
Sim fico bamba
Me escondo de ti
E você de mim
Quero ver teus
Olhos, ler teu cheiro
Meu fetiche
Você subindo escada
Só salto e meia de renda
Sou louco, sexo é pouco
Quero te pegar
No elevador!
Não lá no poço
O que odeio, mentira
Se você é Dark
Me leva para o escuro
Deixa que o tato
Seja o guia, me arranhe
Meu herói é Byron
Minha fantasia
Pele branca tatuada
Me rendo ao coração
Quanto tenho parceira
Não sou metade
Sou um ser inteiro
Por isso quero a madura
Que seja no claro ou escuro
Sou serpente marginal
Sou bandido do poema
Quero interlocução
Com tesão

Ulisses Reis®
27/08/2010

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Flor


Flor

Tempo de flores
Tempo de autores
Das palavras e cores
De canções
De alguns carentes
De muitos presentes
E de confusões
Quem sabe decisões
De fluíres e diluíres
De corações

Ulisses Reis®
23/09/2010

Para Reggina Moon

Flores


Flores

Flores que te perfumam
Flores que te enfeitam
Flores que trazem cores
Flores que me confundem
Flores com sentimentos
Flores que me alimentam
Flores que são olhares
Flores e minhas lagrimas
Flores que me resistem
Flores que te embelezam
Flores que tem espinhos
Espinhos que te machucam
Flores e minha menina!

Ulisses Reis®
15/10/08 

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Loba Guariento I


Loba Guariento I

Guariento é mulher
Sofre por paixão
Senti às vezes espinhos
Em baixo dos pés
Desacredita de si
Mas um palavrão aqui
E outro ali
Traz de volta
E revê, que é LOBA
Linda e gostosa, inteligente
Maravilhosa
Mas esses imperadores
Julio, Cláudio e Alexandre
Na mente dela entorta e pira
O último, caipira, será sina?
Mas essa linda sabe que a vida ensina
Só precisa às vezes um chacoalham
Para não deixar que fique a pensar
Nem no aniversario, nem no almoço caro
Deixa de besteira, não se atreva
Quero você passando a rasteira
Esse caipira, não merece meia aspirina
Então empina o peito, tudo tem jeito
O teu grande homem ainda vem
E você vai jantá-lo, e ser chamada de meu bem!
Não sou só eu que acredito em ti
Essa que lê e sorri também, sei e vi
Quero LOBA matreira, que sabe ser moça
Faceira
Madura completa e muito inteira
Na tua alcatéia ALPHA
Que deve ser muito conquistada
Para depois descontrair e facilitar
Ai mostrar o teu lado maternal
E lógico todo teu potencial
Mesmo a mulher passional
Lado que abusam, imperadores
E meninos
LOBA impar
Vim brigar
Quero você fatal
Não sofrendo e se acusando
Sim sorrindo e falando
“Eu sou mais eu”
Não há mulher melhor ou igual a mim!!!

Ulisses Reis®
03/12/08

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Cachaça



Cachaça

Arde em mim Cora
Que desvenda a mulher
Arde em mim Frida
Que desnuda a sim mesma
Arde em mim Florbela,Cecília
E Lispector
Que na pena disseram
Que não são pequenas
Arde em mim Sylvia Palth
Que procurou a morte
Tão cedo que não dói mais
Arde em mim a professora
Anayde Beiriz
Que chocou por duas vezes
Uma sociedade inteira
Sou ardente como cachaça
Que em goles vicerais
Tem um tormento
Escrever sem lamento

Ulisses Reis®
21/09/2010

Para Helena Castelli

Vagarosamente


Vagarosamente

Gemia baixinho! 
Desejo que nascia

Em seu corpo 
O meu atingia

Extremo e coxas 
Brindava e brincava...

Alerta tua mão
Alisava meu sexo
Deixando crescer
E envolvendo com dedos
Carinhos eternos
Sacana e delicia
Minha boca descia
Nos seios contornos
Os bicos, mordia
E os carinhos escorriam
Na barriga lambi
No umbigo cheguei
Voltamos às bocas
Engolimos as línguas
Agora um corpo
Grudados, buscando
Chegando aos poucos
No instante final
Ulisses Reis®
08/09/08

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Imcompleta, incerta


Imcompleta, incerta

Ela acorda emocionada, tem anel azul no dedo
Não tem todas as qualidades é fruta cítrica
Às vezes acida e disforme , outra doce conforme
Tira da vida todos os sabores e vive com auto critica
Não a imagine com só um desenho pois é transforme
Desnuda o corpo com sons e tons é de fibra
Onde vê sorriso, leia pensamento que calibra
Nuances de cores domina essa menina
Pois os sonhos são impossíveis estrelas
Onde descobre a mulher que existe antitoxina
Assim coexiste demônios e anjos em alegria
Correndo juntos pois nos braços há algemas
Em união fazem dela universo em expansão
Alheia e aleatória surrupia o tempo gozação
Ela acorda com emoção coloca anel azul
Pois ele nos trás boa vibração

Ulisses Reis®
09/07/2010

Para Renata Fagundes

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Loba ou Querubim


Loba ou Querubim



Acho que conhece o lobo interior

Então aqui venho dizer e também

Perguntar; quem você alimenta?

A Loba ruim ou aquele Candido

Querubim

Temos os dois dentro de nos

Eu também não sou uno, sou dois

Tenho um par e não sou bipolar

Hoje mais maduro alimento

O que o meu futuro diz assim

Nunca deixar o mau asfixiar

Pois também sou eu lá e cá

Mas divido de maneira singular

Não na metade

Para o meu bem estar, pouco mais

Para o lado que se permite amar

Mas o amor por mim mesmo

Aprendi cedo que o exercício

Tem que começar aqui dentro

Verbalizar e dizer que eu existo

E sei agora uma cúmplice amar

Mesmo assim às vezes o lobo

Aquele marginal e bandido

Sai para me lembrar e avisar

Que nunca vai me deixar

Então com ele hoje eu convivo

Sem estresse, um bom amigo

Vai notar que muitas vezes

Ele até poemas escreve

Sem pudor e pode até ter amor

Mas é muito mais ávido e aflito

Não sabe administrar e cuidar

Mas ai o que alimento, se faz

Presente e se impõem

Sem brigas nem dramas

Hoje posso dizer que sou inteiro

Então volto a perguntar

Que você mais alimenta

Tome cuidado com a pimenta



Ulisses Reis®

06/08/2010



Para Helô

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Albatroz


Albatroz

Amor
Deixa o ar leve
Lençóis brancos
Água cristalina
Figura de menina
Divertido bailar
Canto do passaro
Sorriso lunar
Sendo você meu avatar
Pode arder e ter sedução
Mas é total purificação
São vales suáveis
Rochas volumosas
E macio da cama
O encanto das nuvens
O sabor do morango
Vinho tinto no paladar
Gosto de provocação
Sentimento de proteção
O sol na translação
Mutua absorção
O mundo a girar
E nos a voar
Com gaivotas e albatroz
Indo longe e alto
Na viagem com destino
Juntos sempre ao finalizar

Ulisses Reis®
11/09/08