Seguidores

New Translator....

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Festa II

Festa II

O presente hoje é estar
Neste momento de brotar
Onde cada um que germina
Pode agora realizar e nascer
Para um período novo, viver
Onde cada um tem o poder
De ser e fazer o bem a todos
Ou pelo menos não interferir
E deixar o viver bem fluir
Desejo que tudo se renove
Que todos sentimentos venham
Com cumplicidade e harmonia
Para que sejamos humanos
Nesta festa de tudo queremos
No meu peito ainda a respeito
E assim eu e todos crescemos

Ulisses Reis®
29/12/2010

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Ouvir o rio

Ouvir o rio

Em fila nuvens vagueiam
Como será bom
Numa tribo, nu na aldeia
Banho de rio
Ou cachoeira
Sem pudor ou medo
Sem nada que me rodeie
Limites, faixas, cercas
Religião que não norteia
Liberdade, cumplicidade
Na natureza
Fim de tarde na jabuticabeira
Sentir esse calor
Ver a pele criar mais cor
Ouvir o rio, cantar com
O vento
Ter essa vida sem fim
E verdadeira

Ulisses Reis®
06/11/2009

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Alegria

Alegria

Alegria de viver
Sentir o sol na cara
Ouvir a chuva cair nas folhas
A tarde ver o quero-quero passar
Sentir a suavidade da prisa quente
Sorrir para criança que passa
Ouvir uma historia
Querer um amor
Ler um bom livro
Escrever um poema
Tocar uma mulher
Sorver um grande beijo
Um galo cantando ao amanhecer
Bolinha de gude na calçada
Futebol na lama
Maços de rosas pra ela
Cerveja gelada
Lindas coxas passando
Beijo ao chegar
Banho com a mulher
Amanhecer numa praia
Banho de rio pelado
Crepúsculo na serra, Cantareira!
Saber que não se sabe
Aprender algo novo
Fazer uma pipa
Rodar um pião
Roubar jabuticaba
Chupar cana-de-açúcar
Abraço de uma amizade
Sorriso de uma bela
Banhar os pés no mar
Viver cada instante
Não esquecer momentos
Ter uma cúmplice
Ser e ter reciprocidade
Sentir saudades

Ulisses Reis®
19/02/2008

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Pimenta do Planalto

Pimenta do Planalto

Você não é tormenta
Você é quem me inventa
Arde feito pimenta
Veio e me esquenta
Nunca mais me deixe
Venha e me freqüenta
Não sou só fraqueza
De você que é minha alteza
Minha serpente que almeja
Meu corpo interagir
E no teu ser fundir
E nele ser e estar
Como um impar
Único neste teu lugar
Me doe gemidos e prazer
Venha em mim seja o querer
Neste futuro e neste luar
Quero muito te amar
E na tua gostosa geografia
Planaltos e colinas, galgar
Acender tua fogueira
Nela me banhar e suar
De pé, sentada e de 4
Em todos os lugares
Reinar

Ulisses Reis®
14/04/2010

Loba Guariento II

Loba Guariento II


Essa mulher vai ser minha eterna inspiração
Pois ela é somente minha Zélia querida
Tem vida e acredita
Atingiu um patamar invejável
Não só nos recursos
Mas naquilo que sempre admirei
Intelecto e persistência
Coerência e atitude
Ela faz a diferença
Conquista, tem paciência
Ensina e até agüenta
Ouve e é sempre presente
Cativante e atenta
Mas em Montmartre as velas
Apagaram
Então já sabe, esses moços
Aqui são muito otários
Inseguros e quantitativos
Nada perceptivos, as vezes nem ativos
Não reconhecem uma Loba vinho tinto
Também pode ser na mesa
São pequenos, bebem vinagre
Não sorvem a hóstia, comem jaca
Mas nada como uma noite de dança
Calientes
Para essa Loba ser renascente


Ulisses Reis®
19/07/2009

domingo, 19 de dezembro de 2010

Ao Lugar

Ao Lugar

Setembro me fez vazio
Mas acabando vou voltar
E no teu cio
Não vou parar de abastecer
As prateleiras do prazer
Onde tem libido e luxuria
E o fermento e tua boca
Que deixa sabor de fêmea
De Rainha que me fustiga
De menina que em ti habita
E nelas serei parceiro
De aventuras muito profanas
Onde irei até ao lugar reclamas

Ulisses Reis®
21/09/2010

Para Reggina Moon (http://pecadopoetico.blogspot.com )

sábado, 18 de dezembro de 2010

Mercy

Mercy

Dançando, barriquinha lembrando
Os carinhos que se mostrou à noite
Viajo na musica dessa loirinha, Duffy
E você agridoce melancólica
Mas simplesmente a devoro
Com beijos e afago eu te devoro
Não deixo nem um cantinho sossegado
Quero lamber e fazer viajar
E essa musica não para de tocar
E você assim dançando lentamente
Se mostra radiante e volúpia elementar
Do teu ser vem se mostrar, tua libido
Gostosa e vigorosa vem me devorar
Continua a dançar, pois a musica vou voltar
E sim a cada movimento sem pensar
Teu corpo é lindo e teu sorriso valioso
Pois sei que esta se divertindo, vou aproveitar
E depois agarra tua cintura para me colar
No teu suor vou me alimentar, na tua boca
Quero sentir tua língua safada me buscar
Dança, dança me faz bem você assim a dançar

Ulisses Reis®
14/12/2010

Para Callie

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Boquiaberto

Boquiaberto

Num drible galante
Tu és mulher e elegante
Vem com tudo fascinante
Seu corpo faiscante

Nua e molhada cativa
Bela e sinuosa castiga
Beijos quentes, instiga
Sai com sorriso altiva

Se penteia Monalisa
Se insinua consisa
Se ilumina baton
Se enfeitiça meia arrastão

Quero seus goles majestade
Quero teus gestos realidade
Quero você inteira minha
Quero sua entrega pura

Agora linda vestida de meia
Agora bela boca de baton carmim
Agora fera cabelos molhados
Agora seu, boquiaberto tomo
A menina-mulher abraço e beijo
E na cama domo e somo!

Ulisses Reis®
25/02/2009

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Sonho derradeiro

Sonho derradeiro


Minha menina
Tu és sagrada
De joelhos te abraço
Imploro todo espaço
Tu meu balsamo
Cura-me da solidão
Minha sede te bebe
Confesso minha paixão
Sou marginal em comunhão
Minha Afrodite perfeição
Meu ar respiração
Traz vida e satisfação
Meu vinho da unção
Busco esse tesouro
Na cama juntos
Invada e transforma
Em minhas terras teu relevo
Desbravo ravinas e colinas
Teus seios na minha mão
Minha flor de laranjeira
Teu perfume me tonteia
Embriagado
Transbordo enlouquecido
Em ti sou presente ativo
No lençol macio
Você é meu abrigo
Mergulho no teu cio
Minha moradia
E tu me acolhe
Inteiro, faz-me parceiro
Teu companheiro


Ulisses Reis®
05/03/2008

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Ventre

Ventre

Odalisca
Puro deboche
Me arrisca e faísca
Fustiga, me excita

Não sou garanhão sou paixão
Não sou momento sou prisão
Preciso de ti correção
Dança e sedução

Teu porte majestade
Espaço e duas metades
Dois lados e um gol
Intervalo banho d’gua

Ventre e contorção
Mística e sagrada, tua revelação
Teu corpo imune a perdição
Tua dança realização

Ulisses Reis®
29/01/2008

sábado, 11 de dezembro de 2010

OBRIGADO ANDREZA !

Desejo...
que sua inteligência
lhe auxilie na compreensão
de teus problemas,
e que possa solucioná-los
com a moeda de teu próprio suor...
nos momentos difíceis
possa olhar para o alto
e pedir forças
para continuar caminhando...
compreender
que o dom da vida
é o maior tesouro que possui,
que nenhum mal é eterno,
nenhuma dor é insuportável...
que possa também
superar as dificuldades do caminho,
que sua consciência
esteja sempre em paz
o suficiente para prosseguir
com a certeza
que o amor supera todo mal...
enfim...que você,
possa superar suas fraquezas
e que você aprenda
a ser um instrumento de paz
Amém... Feliz Natal

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Atenção


Atenção

Cem palavras,
Sem compromisso,
Cem beijos,
Sem cobrança,
Cem carinhos,
Sem interesse,
Cem afagos,
Sem mentira,
Cem festas,
Sem expectativa,
Cem gentilezas,
Sem culpa,
Cem viagens,
Sem vaidade,
Cem espetáculos
Sem trapaça...

Ulisses Reis®
31/01/2008

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Quente



Quente

Ardem tuas curvas
Arde o ar
Arde à vontade
Arde a calmaria
Arde o sol
Arde a volúpia
Arde a intenção
Arde a tua imagem
Arde o caminho
Arde a intimidade
Arde o sentido
Arde você aqui
Arde a saudade
Arde meu sonho
Banho frio!

Ulisses Reis®
28/01/2008

domingo, 5 de dezembro de 2010

Amar

 Amar

É sutileza ao falar
É carinho ao amar
É conquista diária ao deitar

É vontade e atenção
É cumplicidade e ação
É lealdade e compreensão
É cuidar com afeição

É querer com vontade
É amante com amizade
É não ver idade

É não desanimar
É confiar
É se entregar
É amar!

Ulisses Reis®

20/01/2008

sábado, 4 de dezembro de 2010

Um Sol

Um Sol

Ao amanhecer o sol veio ver
Teus cabelos revoltos
Tuas curvas ao andar
Hoje é dia do sol, vai se preparar
Pois ele vem te visitar e olhar
Vem te aquecer e reparar
Sim ele é gostoso e tem dengo
Ele vem, pois tem apego
E traz luz, pois escuridão
Não é para você viver
Deixa a vida alvorecer

Ulisses Reis®
29/09/2010

Primeira Vista

Primeira Vista

Primeira vista
Caviar de Beluga
Delicia
Com voz forte
E marcante
É insinuante
Tem graça de Brecheret
E curvas de Brigitte Bardot
Ela passa todos assistem
Ela é simples
Envolvente alegria
Tem muito a beijar
Sabe fazer calar
Quando cai a luta
Não há quem dispute
Sai e é um furacão
De tão linda e sensual
Aplauso ao visual
Salto alto quinze é avião
Com batom, vermelho sangue
Assim ela pode
Ser belíssima e abusada
Não usa a beleza de graça
Pois na vida há tudo de bom
Beleza passa
Essa menina-mulher
Gata e loba
Libriana esperta
Desenvolve e afeta
Tudo a sua volta
Mesmo as mulheres
Se curvam e admiram
Cantam e são atrevidas
Pois ela emana e sufoca a visão
Os homens esses viram bobões!

Ulisses Reis®
20/06/2009

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Salutares

Salutares

A vida é o motivo
O sorriso a ação
Que vem das pequenas
E salutares coisas
Como o vento no rosto
A canção da terra
No gorjear do passaredo
No alimento que é
Ter amigos
Onde se pode dividir
Das lagrimas ao sorriso
De caminhar pela mata
Onde se conversa com
Deus
No espetacular viver
Cheiro de chuva no ar
É melhor agora, correr

Ulisses Reis®
14/11/2010

Para Ana Lúcia Oliver

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Geografia Especial





Geografia Especial

No centro do Brasil
Ali tem uma mulher
Com uma geografia
Especial
Pois sabe que tem
Relevo excepcional
Sempre carregou paixão
Esse grande sentimento
Sabia que não era ilusão
Hoje desfila com sorriso
E alegria da verdadeira
Cumplicidade
Que essa bela mulher
Merecia
Fica mais sinuosa e linda
Pois esta de bom com a
Vida
Doa carinho e amor
Tem toda retribuição
E fervor
Mas continua exuberante
E sensual
Coisa que valorizou
E nesse Planalto Central
Tem respeito que sonhou
E muitos olhares que
Para uma linda mulher
É normal


Ulisses Reis®
26/09/2009

Para Edi